sexta-feira, dezembro 9

O Amor, o Amor...

Hoje acordei cedo, e fui até o Poupa Tempo tirar 2ª via do RG e CPF. Me impressionei. Em 50 minutos, eu já estava a caminho de casa. Sorte? Não sei, mas cheguei lá por volta das 07h30, para evitar filas. Fiquei pensando em escrever um texto irônico sobre lugares como esse, de longas esperas e milhares de contratempos, mas até respondi pesquisa de satisfação, colocando notas 9 e 10 por rapidez e atendimento. A única situação cômica que me ocorreu foi a de um carinha solicitando 2ª via do protocolo do RG. O que será que acontece se você perde o protocolo? Será que isso teria realmente graça? Meu texto de hoje quase fica apenas neste parágrafo, mas tive muita sorte alguns minutos depois.

Finalmente cheguei ao ponto de ônibus, após atravessar os labirintos intrincadíssimos do Largo 13. Na chegada, deveria haver algum tipo de prêmio, porque realmente é um desafio achar a saída.

A partir de agora, o título de hoje começa a fazer sentido...

Entrei no ônibus, e me chamou a atenção um casal de estudantes apaixonados. Me chamou a atenção, realmente, porque eram duas garotas. Uma de cabelos compridos e boné e, sentada em seu colo, uma com cabelos curtinhos e pircings. Demorei um pouco para descobrir que eram duas meninas. Achei que era um moleque sentado no colo da namorada, mas notei um piercing no nariz estilo "ponto de luz", aquele bem discreto, sensual e feminino, que consiste num diminuto brilhante perdido na lateral direita ou esquerda do "órgão respirador".

As festas de fim de ano nos deixam mais emotivos, e eu não escapo desta regra. Com isso, fico mais atento às pessoas, nas trocas de carinhos e gentilezas mútuas. E aquele casal me emocionou. Fazia tempo que eu não via tanto amor transbordando de duas pessoas. Que amor bonito, o das duas. Conversavam muito, olho no olho, um brilho raro de eternidade de sentimentos, sorrisos sinceros, companheirismo, trocas de afagos verbais, mãos dadas (que não desgrudaram meio segundo), alianças prateadas no anelar esquerdo, 20 unhas sem pintar e bem curtinhas, beijinhos nos olhos, selinhos carinhosos, carícias nos braços... Que naturalidade! Elas não estavam ali para chocar, para mostrar que eram uma minoria dentro de uma sociedade que ainda trata o homossexualismo como preconceito. Elas estavam ali para elas mesmas, sem se importar com a opinião dos outros, simplesmente porque quando se ama, nada que está à sua volta te incomoda.

Ah, como o amor é lindo! Não importa quem é o seu amor, se ele for sincero e recíproco. Admito que, para mim, é muito mais agradável e erótico observar um casal de mulheres do que um formado por homens. Uma questão de estética, sabe? Homem é feio pra caralho, é peludo e suado. Dois homens juntos é esteticamente inviável, mas, fazer o quê, se existir amor entre eles? Aceitar e compreender é importante nessas horas...

Amor como o das duas meninas que eu vi hoje é dificílimo de encontrar em muitos casais heterossexuais que se vê por aí. Fiquei realmente emocionado com isso. Como podemos ser sinceros com nós mesmos, a ponto de nos amarmos primeiro, para depois estarmos preparados para amar os outros. O problema do ser humano é que ele complica muito as coisas. Se ele conseguisse ser mais sincero consigo, ele poderia ser mais sincero com todos à sua volta. Se o Homem falasse realmente com sinceridade tudo o que sente, talvez não teríamos tantas separações por aí. Nem iria acontecer o enlace. Só ficaria junto quem realmente quisesse. Só casaria quem quisesse realmente ficar com o seu amor. Ver seus filhos crescerem, seus netos e, quem sabe, bisnetos. E daí, com orgulho, dizer para a "sua velha" ou o "seu velho", o quanto foi importante amar, crescer e envelhecer com eles...

4 Quimeras:

@ dezembro 09, 2005 12:15 PM, Anonymous Fernanda Puleghini disse...

Vc entendeu tudo... tá no ponto para dar uma grande virada na sua vida! Nunca tome essas suas palavras por impulso de momento... acredite nelas, pois é isso que vai te fazer acreditar que sempre vale a pena ir em frente! Sorte e sucesso, sempre!

 
@ dezembro 09, 2005 2:44 PM, Anonymous Karan disse...

Primeiro ponto - Que bonito, cara! Perceptivos pelo incomum, que cada vez se torna mais comum na verdade.

Segundo ponto - Tudo que vai, volta... principalmente o boomerang, quando bem jogado.

Terceiro ponto - Na minha época, GLS significava "Gran Luxo Super"

Quarto ponto - Acho que só você entende o terceiro ponto, né? hahahaha

Quinto ponto - Mais 20 e eu fecho o Set.

 
@ dezembro 09, 2005 3:22 PM, Blogger André Lasak disse...

http://www.clublez.com/movies/a_world_of_girls_kissing/

Encontrei esse link repleto de fotos poéticas no blog do Castrezana, o http://www.omedi.blogspot.com/.

 
@ dezembro 09, 2005 3:25 PM, Blogger Marcio M. disse...

Sensacional...adorei o texto, como sempre meus comentários não chegarão ao patamar de seus textos.

Primeiro que vc merece um prêmio por ter saído imume no largo 13, só quem já passou por lá sabe oq é aquilo.

Segundo que as vezes precisamos passar por algumas coisas na vida pra perceber pequenos detalhes, sutilezas que as vezes não enxergamos. Mas é isso que vale a pena na vida, o aprendizado, a evolução, crescimento, e isso meu velho, não aprendemos na escola comum, nem universidade e tãopouco com os bolsos cheios, e sim na escola da vida, nos tombos que ela as vezes nos dá.
É bom saber quando uma pessoa querida - como vc - ultrapassa mais um obstáculo da nossa sinuosa estrada da vida.

ah, e terceiro e último, cara, tb acho horrível e feio pra caralho, literalmente, homem, ser cheio de pelo e suado, como suas palavras e te confesso que faço questão de olhar o menos possível pra um espelho e ver eu, feio, cheio de pelos e tantas vezes fedido!!!!...kkkkkkkk


abração e saudades!

 

Postar um comentário

<< Página Principal