sábado, outubro 29

Deleite

Te quero vestida de baunilha
Despida de pêlos e pudores

Quero degustar cada
Milímetro de tua pele
Sem pressa

Explorar tuas curvas
Com o meu
Paladar

Quero beber de tua boca
O beijo doce de ninfa

Quero tragar teu suor
Quero sentir teu calor

Quero lamber-te até o amanhecer
E depois te tocar, e olhar, e tocar

Quero arrepiar todos teus fios de cabelo
Quero te ouvir, sussurar ao pé do ouvido
Um pedido, um desejo, uma ordem
Para que eu te explore mais a fundo

Afundo no meio de tuas pernas
E mergulho noutro mundo
Bebo de tua boca o mel de ninfa
Bebo e me embriago até quase
Desfalecer

Sinto na pele teus arrepios,
Teus gemidos, calafrios
Acompanho tua respiração
No toque da minha língua

Sinto na pele teus gritos
Contrações de prazeres
Múltiplos, sensações de
Vida e morte, urros,
Mais gritos e um
Suspiro final

E eu te contemplo
No auge do teu orgasmo
Todo o desejo, contido
No meu intumescido desejo.


Dedicado a uma rainha élfica...

Marcadores:

2 Quimeras:

@ outubro 30, 2005 1:35 AM, Blogger Sato disse...

Poxa, que legal hein... O título desta poesia me faz lembrar o nome de uma doçaria sensacional chamada DOCE DELEITE. Criativo ou não?(podem procurar, no dicionário ainda não há doceria nem como neologismo)

 
@ novembro 01, 2005 12:39 PM, Anonymous Simone disse...

Inveja da Rainha ...

Ass.: apenas uma Princesa.

 

Postar um comentário

<< Página Principal