quarta-feira, janeiro 20

Átomo

Pincelo idéias, numa tela
Que inexiste dimensões,
O incompreensível fragmento
Momentâneo que é o
Insalubre despertar.

Sacio a curiosidade
Digerindo intrínsecos
Códices embaralhados

Espanto-me quão
Difuso é o tempo

Impressiono-me quão
Diminuto é o existir

Devoro-me por tantas
conjecturas insaciáveis

Sumo.

Transmuto-me em átomo:
O tomo mais inconstante do

Universo.


.

Marcadores:

2 Quimeras:

@ janeiro 20, 2010 11:00 AM, Blogger J.F. de Souza disse...

oraora... tuas poesias são raras, meu caro lasake. em todos os aspectos. =)

1[]!

 
@ janeiro 22, 2010 8:58 AM, Blogger Thaís Vidal disse...

Quando penso nessa tela, penso no vazio. E ele me preenche...
E me surpreendo com o inevitável.
Se pudesse ficar nessa tela negra, cheia de espaços vazios, na plenitude...
Respiro...sinto o infinito aqui dentro, pulsando...
Desejo acordar algum dia...
Sentir o agora, finalmente...
Me deixar levar..entender enfim a verdadeira natureza da realidade...
Entender por que átomos estamos aqui...

Adorei Quimera Ufana...sinto que vou mergulhar aqui um bom tempo ^^

 

Postar um comentário

<< Página Principal