sábado, junho 5

Conseqüências

Foi como num estalar de dedos
Quando vi, foi.

As palavras quando saem não podemos mais evitar.

Daí chegam as conseqüências
Ah, estas cruéis conseqüências
Que transbordam explicações
E desentendimentos
Muitos.

Choro.

Choro um choro miudinho
Não posso fazer mais nada...
Foi.

A sinceridade é cruel
Quando é sincera.

Depois não adianta ficar triste pelos cantos
Nem pedir desculpas...
Mas ficar quieto e continuar
É até pior.

O que fazer, então?

Engolir um futuro câncer
Ou expressar sem dó?

As duas formas são cruéis,
Como a sinceridade.
(Viver é difícil)

Mas estar e sentir-se vivo é bom
Mesmo quando é triste.

Vivamos então para esperar o amanhã
E as conseqüências do tempo,
Este tempo que por mais cruel
Que possa ser
Também é recompensa.
É temperança.
É sábio
E acolhedor.


.
Também estou por aqui:
Siga-me no TwitterAssine o Feed RSS do Quimera UfanaVisite meus Álbuns do Flickr

Marcadores:

6 Quimeras:

@ junho 05, 2010 3:29 PM, Blogger Lubi disse...

ontem, eu senti exatamente isso. hoje, passou. ainda bem.

um beijo.

 
@ junho 23, 2010 2:15 PM, Blogger IVONE BENGOCHEA disse...

André
Temos um vício em comum: o gostinho da palavra escrita, as bobagens nem tão bobas assim, que nos fazem melhores, mais humanos, mais afetivos, sem o grito preso na garganta. Gostei muito do seu blog. Abração Ivone

 
@ junho 24, 2010 4:00 PM, Blogger Clarice disse...

Com o que anda acontecendo por aqui, melhor acreditar que tempo é criação humana e que Einstein estava certo quanto à relatividade.

Se a dor não for só motivo de inspiração, que passe logo.
Abração.

 
@ junho 25, 2010 9:29 PM, Blogger Tai disse...

Pois saiba que prefiro a sinceridade!
^^

Oh meu amigo!
Saudades de ti!
^^

 
@ agosto 01, 2010 12:15 AM, Blogger Ludmylla disse...

"A sinceridade é cruel
Quando é sincera".



adorei isso!

 
@ agosto 31, 2010 9:30 PM, Blogger o sol brilha disse...

tudo isso é verdade

 

Postar um comentário

<< Página Principal