sexta-feira, junho 5

Vota Queu Conto #1 - Resultado

Vamos ao texto da primeira votação, que resultou no início #6.



Luxúria Verde

O meu pior sonho erótico envolvia um prato de caldo verde e uma samambaia. Minto. Digo o pior porque não havia mulheres. Nem eu. Mas havia uma sensualidade realmente surreal em tudo aquilo...

Ambiente de filme noir. Uma casinha de campo, sala de jantar. Corta para uma samambaia pendurada ao lado da janela. Uma brisa a movimenta, lentamente. Um belo pôr-do-sol vai dando lugar à noite. Corta para a mesa, vista de cima. Um prato de caldo verde encontra-se pousado em uma toalha xadrez, fumegando.

O vento fica mais forte. Um dos galhos da samambaia começa a avançar, toca na mesa e volta ao seu lugar. Avança novamente e pousa em cima da mesa. O vapor do prato não acompanha a direção do vento, seguindo até o galho. Toca levemente nele, tão suave que os esporos de suas folhas se eriçam, como que arrepiados. Volta a ventar e o galho sai da mesa, em direção à janela. O vapor do prato flutua até a samambaia, deixando-a totalmente arrepiada. Mais vento, agora. Um galho alcança a borda do prato, tocando levemente em seu conteúdo. O caldo verde treme. O galho cai na mesa. Mais vento o faz pousar dentro do prato fumegante.

Finalmente. Folha a folha deste galho de samambaia põe-se a desaparecer, lentamente, da superfície da sopa. Sinto um forte cheiro de batata, de couve, de azeite. Meus olhos mergulham nela. Submerso, lembro do gosto do primeiro caldo verde que experimentei na casa da minha avó, quando criança. A sensação do calor, do caldo translúcido com seus pequeninos grânulos de batata, competindo com as finas tiras de couve pelo mais aprazível sabor...

Naquele momento, compreendi que não era mais criança, mas sim um invisível expectador admirando algo inimaginável. Tiras de couve entrelaçavam entre as folhas da samambaia, enquanto grânulos de batata roçavam, resvalavam e grudavam nos esporos, em movimentos sincopados. O galho mergulhava mais na sopa, e depois voltava para a superfície. As cenas que eram até agora em preto e branco, transformam apenas os dois protagonistas. A samambaia vai mudando de cor a cada ida e volta, passando do verde claro ao escuro, em ondas dégradé. A mesma coisa acontece com os grânulos de batata e fatias de couve.

A intensidade de movimentos aumenta a cada ida e volta do galho. O calor aumenta, os cheiros se misturam, as cores se fundem. A samambaia e o caldo verde tornam-se um só, num rodamoinho de cores e sabores, odores e calores, acelerando cada vez mais e mais e mais... o prato começa a tremer e eu, submerso nele, sinto a trepidação assustadoramente. Algo maravilhoso está para acontecer.

O prato treme de tal forma que as cores mudam dos tons amarelo a verde para todos os tipos de tons, incluindo vermelhos e azuis. Nunca concebi com meus olhos tanta variedade de matizes. Eu conseguia decupar e classificar, a cada milésimo de segundo, milhares de subtons e subcheiros, notas e temperos, almas e graus... Êxtase. O prato dá um salto deixando que seu conteúdo se desprenda totalmente, flutuando no ar, enquanto que observo, por outro ângulo e em câmera lenta, os esporos de todas as folhas da samambaia expelindo um pó marrom por todo o ambiente.

...

Um corte súbito mostra a mesa vista de cima. O prato não está mais fumegante. Ao seu lado, o galho da samambaia encontra-se pousado em cima da toalha xadrez, encharcado. Há manchas úmidas de sopa em quase todo o tecido. O quadro vai abrindo, revelando toda a sala. O vento pára. A cena escurece lentamente. Antes de subir os letreiros, desperto.

Acordo molhado.



.

Marcadores:

9 Quimeras:

@ junho 05, 2009 12:49 PM, Blogger Fabio Ciccone disse...

Nunca, nunca mesmo, imaginei que fosse ler um conto erótico de amor entre um prato de sopa e uma samambaia.

Você doente. Saudavelmente doente.

 
@ junho 05, 2009 12:59 PM, Blogger Takren disse...

Me deu vontade de tomar um copão de suco de clorofila... Pelado.

Bom, só me falta o suco, agora.

:0

 
@ junho 05, 2009 2:54 PM, Blogger Redd disse...

O.O uau! bizarro! hahahaha

gostei do estilo 'roteiro'!

 
@ junho 05, 2009 5:35 PM, Blogger Renata de Aragão Lopes disse...

Não fosse um mero sonho seu,
eu temeria uma gravidez...
(risos)

Eu teria votado no #10.

 
@ junho 07, 2009 1:03 PM, Blogger Gaspar Issamu disse...

Fala "Brunão". Acho q vc devia ter feito botânica rs
Parabéns pelo texto bem criativo, meio doente mas criativo rs
Abraços,

 
@ junho 08, 2009 1:22 PM, Blogger Girassol disse...

kkkkkkkk que imaginação fértil! vc se superou! muito original adorei!

bjs

 
@ junho 08, 2009 4:43 PM, Blogger Lubi disse...

hahaha, lasak.
um texto erótico bem descritivo. quanta imaginação. :P

beijos.

 
@ junho 11, 2009 11:30 AM, OpenID melke disse...

Como você sabe que o caldo era verde antes do seu sonho ter cor??

- Muito interessante o texto, e diferente.. Muito diferente!!

 
@ junho 29, 2009 4:26 PM, Blogger André Lasak disse...

@melke

Quando sonhamos, sabemos algumas coisas antes mesmo de termos uma explicação plausível...

Tudo é possível num sonho.

 

Postar um comentário

<< Página Principal