sexta-feira, setembro 11

Explicação de Gírias Paulistas - Parte #4

Mban'Nranranb

Lê-se: Bãrãrã

A cidade de São Paulo é casa de uma diversidade de povos dos cantos mais inóspitos do planeta. É o caso de Nzulu, um humilde habitante de Mbaza, um povoado esquecido num canto desértico de Uganda. Como ele chegou aqui ninguém nunca soube, mas ficou conhecido por causa de sua simpatia e a completa falta de interesse pela nossa língua. Ninguém sabe como ele sobrevivia, muito menos que fim levou. Deixou para o léxico paulista a palavra com a qual terminava todas as suas ininteligíveis frases.


Aplicações:

1. Locução conjuntiva¹: e outras coisas
Ex: - Ah, a gente foi lá no apê da Mé, comprou umas parada no posto, deu um rolê, Mban'Nranranb...

2. Locução conjuntiva²: e assim por diante
Ex: - Cê sabe... a vida acontece, balada é dois palito pra encontrar alguém, beijar, dar tesão, Mban'Nranranb...

3. Verbo intransitivo: tomar providências; atuar, fazer
Ex: - ... aí ele chegou e Mban'Nranranb.




Sayandhanuh

Lê-se: saiandânu

Foi criado por uma extinta vertente radical que cultuava o extreme-yoga. As técnicas do Instituto deNose não eram nada convencionais, mas de fato funcionavam. Era o caso do mantra Sayandhanuh, técnica avançada de telecinese grupal, que servia para expulsar freqüentadores indesejáveis apenas com a repetição incansável de "Sayandhanuh po rah sayandhanuh fih ladhapuh tah". Graças a estes mantras, o mestre deNose foi muito criticado e proibido de abrir sua universidade. Após seu suicídio, seus alunos passaram a usar alguns mantras ao seu bel-prazer, incorporando-os às gírias paulistas.


Aplicações:
1. verbo intransitivo e pronominal¹: fugir, desaparecer
Ex: - Sayandhanuh, filadaputa! Qué morrê?

2. verbo intransitivo e pronominal²: gastar-se muito rápida ou inexplicavelmente; sumir
Ex: - Sayandhanuh que essa treta é procê, véi! Vasa!

3. Verbo transitivo direto, bitransitivo, intransitivo e pronominal: pôr(-se) a pique; submergir, afundar
Ex: - É nessas horas que a grana sayandhanuh...



Gírias anteriores: True'Ta e Très'TA; Moh e Paga-Pau; Çi-pà e Bhay Anuh

Marcadores:

4 Quimeras:

@ setembro 11, 2009 2:56 PM, Blogger Caio Coletti disse...

Heheheheh. Legal demais! Gostei da lista das "gírias paulistas", são tantas que a gente acaba falando e nem percebe, acho que ver esse povo meio "lelesk" falando acaba pegando a mania.

Enfim, abraço rs
http://o-anagrama.blogspot.com/

 
@ setembro 17, 2009 4:34 PM, Blogger Tiago disse...

meu chapa ta cada vez mais pirado. lindo isso. hsjhsjss

 
@ outubro 03, 2009 3:24 AM, Blogger Thiago da Hora Souza disse...

Juro que eu ainda não entendi o "Mban'Nranranb". Fiquei aqui tentando lembrar algum momento de minha vida em que eu ou qualquer outra pessoa tenha dito algo parecido com isso, mas não consegui me lembrar.

 
@ outubro 03, 2009 12:41 PM, Blogger Thiago da Hora Souza disse...

Olha, eu sou Paulista há 22 anos e NUNCA ouvi dessas gírias, em especial a primeira. Juro mesmo! HaHaHaHaHa

 

Postar um comentário

<< Página Principal