sábado, abril 15

Descontinuidade - Capítulo 11

Capítulos anteriores:
01; 02; 03; 04; 05; 06; 07; 08; 09; 10



- Então contarei um segredo:


CAPÍTULO 11



- Estava escrito que será escrita a primeira história graças aos acontecimentos desta primeira Era. A Experiência seria a chave para o início da vida neste planeta. E você estragou tudo. Os filhos de Xzi, Habel e Khaim, seriam, respectivamente, Vetor e Instrumento desta Era. Ao matar seu quase-pai, você gerou uma descontinuidade no tempo de proporções catastróficas! Nada mais será como deveria ser. Você desobedeceu às órdens de Sued, Zor, você presenteou este planeta com algo totalmente inconcebível para os propósitos que planejávamos.
- Que presente que dei a eles? A fêmea nem foi fertilizada... Eles não existirão!
- Você deu a eles o Livre Arbítrio, Zor! Você estragou tudo! A Experiência foi interrompida, e eu terei que te descontinuar, agora mesmo!

Uma espada corta o ar, e avança em direção a Zor. Ele esquiva, e acerta mortalmente Yzoo. Fácil demais.

- Agora somos apenas nós dois, fêmea!

3.327 a.C.
- Nada aconteceu, Osíris... Não aconteceu o fim de tudo...
- O pequenino blefou, Ammut!
- Não houve blefe. Senti em Anúbis a Marca. Por isso o descontinuei...
- Então ela não sumiu por completo do... Aonde ele está?
- Sumiu. Estava aqui agora mesmo!
- Saia de onde estiver! Hoje é seu último dia neste planeta, filho de Roz!

3 d.C.
Ao ganhar alguns metros de distância favoráveis, Cêntulo pega uma espada que encontra no chão, coloca o livro em cima de um toco de árvore e grita:

- É agora, coisa do inferno, que você voltará daonde veio!

Cêntulo, com toda a força que lhe resta, golpeia o Livro, que se parte ao meio. O mesmo acontece com o símbolo vivo, que grita enquanto escorrega em duas metades. Um raio cai em cima da coisa, e o silêncio é quebrado por um poderoso trovão. A luz do dia aparece, novamente.

1.832 d.C.
Nicanor levanta, e vai ao encontro de Mamon com o cálice. A personificação da riqueza terá o seu fim com a personificação da pureza. Este cálice esculpido em madeira, antiqüíssimo, foi um presente de seu tio-avô, Javier, que jurava que este era um artefato do misterioso tesouro dos cavaleiros templários. Pode até ser verdade mas, mesmo que não fosse, sua fé o tornava verdadeiro.

- Tome, Mamon! Este é o cálice que foi erguido por Nosso Senhor Jesus Cristo ao trensformar vinho em sangue, e que sugará todo o seu sangue, agora!

Mamon por reflexo pega o cálice, e tenta jogá-lo ao chão. Tarde demais. Seus olhos se tranformam em duas cachoeiras de sangue, que escorrem diretamente para a boca do artefato templário. Seu corpo seca até sobrar pele e ossos. Faltam dois, ainda.

2006 d.C.
A sala está vazia. Nada acontecerá nesta Era, por enquanto.

428 d.C.
- Você demorou, estrangeiro. Vamos, ou será tarde demais!

Tobias não entendeu nada. Se o curandeiro já sabia o que estava acontecendo, por que não foi até a cabana? Por que esperou sua chegada?

- Porque eu precisava acreditar nas visões, estrangeiro. - responde sem ouvir as perguntas - Esperar na beira do lago um homem nu, inteiro manchado de sangue, segurando um livro encapado com pele humana, é uma visão digamos muito estranha, não?
- Você tem toda a razão... Nem eu acreditaria.

Os dois correm o mais que podem, esperando o pior. Khon, desfalecido, já perdeu muito sangue. Golgur pede ajuda a Tobias e coloca-o no catre. Panos cobertos com um líqüido esverdeado cobrem as feridas, cauterizando-as.

- Ele precisa de sangue, estrangeiro! Vamos! fure meu braço!

Tobias nunca imaginou que faria uma transfusão de sangue, em sua vida. Nem que viajaria no tempo. Nem que renasceria numa morta-viva. Nem que seria perseguido por um sujeito sem sobrancelhas.

- Te encontrei, Tobias! Agora será teu fim!

1.232 d.C.
Os não-nascidos desistem de cortar a árvore, e começam a escalá-la. Desejam transformar a mulher numa massa de carne moída, para depois devorá-la e regurgitá-la. A cada frase proferida aumenta o ódio e a dor. A cada frase, a sede de sangue aumenta.

-Dez Mandamentos!
- Sete Chagas!
- No Princípio Era O Caos!
- E Deus Criou A Vida!

- Perdão Dos Hereges!
- Remissão Dos Hereges!
- Adoração dos Hereges!


Ann Marie se vê cercada pelos três, que elevam suas espadas para iniciar o ataque. Fecha os olhos e grita:

-Amém!




CONTINUAÇÃO 01
Os não-nascidos transformam Ann-Marie numa massa de carne moída.

CONTINUAÇÃO 02
Os não-nascidos se transformam em pó sobre Ann-Marie.


AGORA É A SUA VEZ!
Escolha entre a continuação 01 e 02, e aguarde: na próxima quinta-feira, mais surpresas em Descontinuidade - Capítulo 12!

Marcadores:

3 Quimeras:

@ abril 16, 2006 12:50 PM, Blogger Tahkren disse...

opessão numeru 2

 
@ abril 16, 2006 2:41 PM, Anonymous Fabio C. disse...

Pau no boga dos não nascidos, fui com a cara da Ann Marie e escolho a opção 2.

 
@ abril 25, 2006 10:03 PM, Blogger André Lasak disse...

*** LIGAÇÕES ENCERRADAS! ***

CONTINUAÇÃO 01: 0 VOTOS
CONTINUAÇÃO 02: 2 VOTOS

OBRIGADO AOS PARTICIPANTES!

PRÓXIMA QUINTA, NÃO PERCA
DESCONTINUIDADE - CAPÍTULO 12

 

Postar um comentário

<< Página Principal