quarta-feira, abril 25

Setecentos Quilômetros: a Vontade e o Cabideiro - ÚLTIMO CAPÍTULO

Capítulos anteriores:
01; 02; 03; 04; 05; 06; 07;
08; 09; 10; 11; 12; 13




Antes do sol ficar a pino, observa,
ao longe, o seu destino.


CAPÍTULO 14


Lá está o último portal. O fim de mais uma das setecentas tarefas. Mas a mais longa missão realizada até o momento. Heptúnio não se contém e começa a chorar. Chora por estar chegando ao fim. Chora por estar feliz. Chora por tudo o que sofreu. Chora por tudo o que aprendeu. Chora por tudo o que ganhou interiomente ao atravessar cada porta. Chora, simplesmente. Desabafa dor e sorrisos.

Vai se aproximando devagar, como se quisesse atrasar ao máximo o seu destino. O coração bate muito forte, e a transpiração aumenta passo a passo. Saíra há mais de quarenta dias da casa de Zaratustra. Mesmo com trinta anos, sentia-se menino, curioso, sedento de conhecimento. Agora sente-se um homem. Seu rito de passagem fora intenso, doloroso, surpreendente. Viu coisas que apenas ouvira em histórias assombradas, em volta de fogueiras. Sentira dores fortes que se tornaram amenas, dia após dia. Aprendera nestes caminhos mais do que todos os anos já vividos. Passara pelas mais penosas lições, enfrentando até a morte em algumas delas. Tudo o que podia esperar como prêmio, neste momento, era rever Marseille, seu grande amor do reino de Copas. Mas ela estava longe demais. E a esperança é sempre a última que morre...

Põe-se frente ao seu quarto Portal do Conhecimento, e escuta uma inesperada e feliz voz conhecida:

- Quem vem lá, vitorioso?


O Eremita


- Zaratustra?! Como chegara até aqui?
- Calculei quantos dias atrasarias, e paguei uma confortável carruagem para me trazer para cá. Cheguei uns dias adiantado, portanto suspeito que não tenhas ouvido o que a cega tinha a dizer...
- Como sabia da cega? E dos dias que eu atrasaria? E de todo o resto?
- Estas coisas não se contam... se intuem. E vejo que minha intuição está boa, ainda.
...
- Chegaste inteiro, Heptúnio! Como eu previ e apostei com Tudo.
- Apostaram se eu chegaria vivo até aqui?
- Quando se vive muitos anos solitário, cada pequena fuga de rotina é motivo de empolgação... Mas deixemos isto de lado, por agora... Vejo que carregaste o cabideiro por todo o trajeto...
- Carreguei, sim. E morreria de cansaço, se não pousasse nele minhas roupas todas as noites, antes de dormir.
- Deixe-me vê-lo!
- Tome...
- É... é um ótimo e resistente cabideiro. Vejo que chegaste o momento de receber teu prêmio.
- E existe um prêmio?
- Sempre existe, caro sete-em-um...

Com um golpe certeiro, Zaratustra parte o cabideiro ao meio, usando sua perna como alavanca.

- Por que fez isso, eremita?
- Este é teu prêmio, Heptúnio! A liberdade!
- Como?
- Liberdade! Estás livre deste cabideiro para caminhar ou dormir... A partir de agora, tudo voltará ao normal...
- Achei que o prêmio fossem palavras de conhecimento e sabedoria...
- Basta de conhecimento e sabedoria por hoje, não? Não atravessastes longínquas terras abastecendo-te de tudo isto, diariamente? Não tenho muita coisa mais a acrescentar em tudo o que aprendeste em tão pouco tempo nesta missão. Hoje tu ganhas a liberdade... e uma antiga folha de papel.
- Folha de papel?
- Esta aqui!

Zaratustra retira, de um pequeno compartimento oco do cabideiro, uma folha amarelada e carcomida de papel, e entrega-a a Heptúnio.

- O que há neste papel?
- Neste papel há teu futuro. Teu passado. Teu presente. Basta descobrir o que ele tem a te dizer... se fores esperto, e usares de tudo o que aprendeste, descobrirá neste papel o segredo da imortalidade...
- Imortalidade? ... O Elixir? Você acaba de dizer que neste papel está a fórmula do Elixir da Longa Vida?
- Elementar, meu caro Heptúnio. Usa-o com sabedoria, e conseguirá cumprir todas as tuas setecentas tarefas... Ou achaste que conseguiria cumprí-las com tua parca essência mortal?
- Achei que seria difícil, mas eu não desistiria até o último suspiro...
- Sei disto... confio em ti. Mas foi decidido que mereceria esta compensação... Vá! Vá ao encontro dos ingredientes! Somente depois de encontrá-los e fundí-los, que terá o meu aval para reencontrar a princesa do reino de Copas.
- Irei agora mesmo! Preciso descobrir antes como decifrá-lo...
- Seguindo esta trilha, encontrarás uma pequena aldeia. Procure o ancião e diga que és meu enviado. Ele apresentará teu ponto de partida.

Heptúnio abraça com força o eremita, e segue pela estrada, excitado e feliz. Algo se renova em sua alma. A esperança permanece viva. Marseille o aguarda. Está lá, na torre do castelo, aguardando ansiosamente o seu retorno. Deixa para trás mais passos de distância do reino de Copas. Deixa para trás o Heptúnio menino. E deixa para trás o cabideiro. Mas carrega em seu embornal ainda uma pequena lasca, como lembrança de sua vital companhia.

O dia parece mais azul agora, com o espalhar das últimas nuvens.


FIM



Chega ao fim mais uma história interativa no Quimera Ufana.
Mas a saga do Heptúnio ainda não acabou!

Não perca, quarta que vem, a busca de Heptúnio pelo Elixir da Longa Vida, a ansiedade por rever sua amada Marseille, e o início de uma nova história interativa!


Heptúnio e o Cabideiro
Clique na imagem para ampliar
Esta é uma grande homenagem que o Ciccone fez ao Heptúnio e a mim. Agora agüenta, meu filho... vou abusar da sua boa intenção, hehehe.

Marcadores:

8 Quimeras:

@ abril 25, 2007 4:03 AM, Blogger André Lasak disse...

Carta IX - O EREMITA

Palavra Chave: SABEDORIA

Necessidade de isolamento para encontrar as respostas necessárias dentro de si mesmo. Indica situações que se desenvolvem lentamente. É o buscador de luz, o buscador espiritual. Sentimentos de aridez e solidão. Procura por novas perspectivas.

Significados Positivos: Sabedoria. Responsabilidade. Verdade. Auto-conhecimento.

Significados Negativos: Solidão. Atrasos. Aridez. Afastamento. Perdas.

 
@ abril 25, 2007 9:38 AM, Anonymous Fabio Ciccone disse...

AÊ!!!!! Acabou! Mas agora fiquei curioso pra saber como ia ser o fim se a outra opção fosse a escolhida, hehehe

Próxima!


PS: Boa vontade não falta... já tempo...

 
@ abril 25, 2007 10:23 AM, Blogger A czarina das quinquilharias disse...

eu voto...droga, hoje não dá.
que venha a próxima quarta :P

 
@ abril 25, 2007 10:49 AM, Blogger Tahkren disse...

AÊÊÊ!

Muito bom Lasak! 'Bora' publicar!

 
@ abril 25, 2007 12:23 PM, Blogger Juliana Pestana disse...

Meu amigo: PaRaBéNs!!!!

A estória termina lindamente e abre o leque para um novo início.
Nós sabemos que esse caminho não tem fim, não é verdade?!

Bjo imenso.

 
@ abril 25, 2007 7:58 PM, Blogger Sebastiao Moura disse...

Nossa! Acabou...

 
@ abril 25, 2007 9:49 PM, Blogger Mauricio disse...

Grande André!

Um abraço, voltando devagar e sempre

 
@ abril 26, 2007 5:00 PM, Anonymous Fábio disse...

Poxa, legal ver que mais pessoas escrevem histórias no blog. O mais interessante é que foi a primeira vez que li a tua história e foi logo o último capítulo.... :P

Bom, mas já deu pra ver que coisa boa vem pela frente. Em um momento mais oportuno irei acompanhar o que aconteceu com o Heptúnio durante os outros portais.

Abraços e Parabéns!

 

Postar um comentário

<< Página Principal